21 de outubro de 2020

De volta aos Aflitos, Náutico encara o Operário/PR esta terça-feira

Após quase cinco meses, o Náutico voltará a jogar nos Aflitos. Em um cenário, contudo, diferente do imaginado para o primeiro jogo no estádio pela Série B de 2020. Sem torcida e bem à frente da data agendada previamente, por conta da paralisação em razão da pandemia da Covid-19. Hoje, às 21h30, o Timbu, 19º colocado, recebe o líder Operário/PR, tentando fazer desse reencontro com o Eládio de Barros Carvalho a oportunidade de se recuperar na temporada.

O último jogo do Náutico nos Aflitos foi em 14 de março, na derrota por 3×0 para o Fortaleza/CE, na sétima rodada da primeira fase da Copa do Nordeste. Depois, com a retomada do futebol, o time só jogou como mandante uma vez, perante o Central, nas quartas de final do Campeonato Pernambucano, mas o confronto aconteceu na Arena de Pernambuco, em São Lourenço da Mata.

Com pouco tempo para se recuperar do tropeço por 3×1 diante do Avaí, na estreia da Série B, o técnico Gilmar Dal Pozzo pregou que o Náutico terá que cuidar não somente dos lados físico, técnico e tático para derrotar os paranaenses. “Precisamos entrar mais concentrados no jogo. Essa rotina de jogos próximos uns dos outros será durante toda a competição. Temos de fazer um trabalho mais mental com os atletas porque em campo não teremos tempo”, afirmou.

Contra o Operário, fica a dúvida para saber se Dal Pozzo vai manter ou não o mesmo time que enfrentou o Avaí. Uma das novidades no jogo passado foi a entrada do atacante Dadá Belmonte na vaga de Erick. Uma possibilidade é o retorno de Jean Carlos como titular. O camisa 10 ficou duas semanas longe da equipe após ser diagnosticado com coronavírus e foi utilizado apenas no segundo tempo dos compromissos mais recentes. Com isso, o Timbu pode ter Jean e Jorge Henrique começando juntos, o que acarretaria na saída de Rhaldney ou Djavan. Outro cenário seria deslocar Jorge para o ataque, no lugar de Thiago.

Operário
O adversário do Náutico começou a Série B derrotando o Figueirense por 3×1, no Germano Kruger. Diante dos catarinenses, o técnico Gerson Gusmão mudou a formação que vinha utilizando anteriormente no Campeonato Paranaense. No lugar de dois volantes, apenas um meia de ligação e três atacantes, o comandante optou por tirar um cabeça de área e um homem do ataque, adicionando outro dois meias para compor o setor. Modelo que deve ser mantido diante do Timbu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *